CESAE PORTFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM
 
   
 

INTRODUÇÃO

O Portfólio Reflexivo de Aprendizagem é um guia para a validação dos saberes e competências adquiridas ao longo da vida.

É um processo participado entre os formandos e formadores, sendo da responsabilidade do formando que o constrói, em todo e qualquer momento, nomeadamente fora do tempo da formação.

Neste Portfólio Reflexivo de Aprendizagem vou demonstrar os conhecimentos que adquiri ao longo do curso de Programador de Informática.

Aqui poderão encontrar um inventário dos trabalhos realizados, material didáctico, reflexões das unidades de formação leccionadas e uma breve abordagem ao meu percurso pessoal e profissional.

 
 

DESCRIÇÃO GERAL

O Programador é o profissional que, de forma autónoma, instala e efectua a manutenção de aplicações informáticas de escritório e utilitários, procede ao desenvolvimento e manutenção de aplicações informáticas de gestão, efectua a análise de sistemas, a gestão de base de dados e desenvolve aplicações.

 

ACTIVIDADES PRINCIPAIS

 

• Proceder à instalação e manutenção de computadores, periféricos, redes locais, sistemas operativos e utilitários.

 

• Proceder ao desenvolvimento de aplicações informáticas de gestão.

 

• Proceder à análise, gestão de bases de dados e ao desenvolvimento de aplicações.

CURSO PROGRAMADOR DE INFORMÁTICA

O sector dos serviços de informação e comunicação caracteriza-se por uma elevada complexidade devido, em primeiro lugar, à diversidade de actividades que lhe são referenciadas, designadamente quanto à tipicidade produtiva, à utilização tecnológica e à segmentação de mercado. Embora diversificados, a maioria dos serviços deste sector partilha uma finalidade comum: a gestão da informação em suportes comunicacionais diferenciados.

A complexidade na delimitação deste sector surge também associada à polissemia e amplitude de conceitos como informação, comunicação e Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). São expressões universalmente utilizadas nos mais diferentes contextos, mas revelam não ter um entendimento comum.

Este sector vive, todavia, uma mudança acelerada e multidireccional que, estamos em crer, levará a uma mais nítida delimitação do sector, bem como a uma clarificação do seu papel nas economias nacional, europeia e internacional.

As Tecnologias de Informação e Comunicação promovem a transformação de áreas profissionais mais tradicionais. A difusão das novas tecnologias a todos os sectores de actividade impulsiona mudança e renovação nas organizações, mercados, produtos e serviços, constituindo-se também como geradoras de novos campos de actuação e serviços.

Este sector é desagregado em dois domínios sectoriais de referência: o domínio das Telecomunicações, que integra as actividades relacionadas com a criação de infra-estruturas, e, inclui, designadamente, a concepção, montagem, instalação, configuração e gestão e manutenção de redes de telecomunicações e o domínio dos Sistemas de Informação que, por seu lado, compreende as actividades de gestão, produção e processamento de bases de dados, envolvendo, ainda, o desenvolvimento de aplicações informáticas associadas ao processamento dessa informação, assim como as actividades de consultoria conexas à sua implementação e utilização.

Dado o elevado grau de complexidade do know-how associado ao sector, é conferida uma enorme importância ao factor humano nas estratégias de gestão de recursos humanos destas empresas, bem como uma elevada exigência de qualificação compatível com os avançados meios tecnológicos. A oferta de recursos humanos qualificados revela-se, ainda, insuficiente sendo, por isso, extremamente valorizada a formação inicial e contínua na área.